quarta-feira

A importância do Esporte na Adolescência










A Importância do esporte 

Sabemos que a atividade física é importante em todas as fases da vida. Particularmente na adolescência além de contribuir na aquisição de hábitos saudáveis, a atividade física melhora a qualidade de vida, pois evita o sedentarismo e a obesidade, prevenindo o desenvolvimento de muitas doenças  e afasta os adolescentes das drogas como HAS (Hipertensão Arterial Sistêmica), Aterosclerose, Diabetes, Cardiopatias e muitas outras, na vida adulta.

A escolha do esporte merece muita atenção. Deve-se levar em consideração as aptidões físicas e as condições socioeconômicas da família. Entretanto, é fundamental que o adolescente escolha um esporte que goste. Somente desta forma ele será capaz de se praticá-lo com a freqüência necessária para gozar dos benefícios que este lhe proporcionará. É aconselhável que os pais ofereçam condições para que o adolescente obtenha informações e até mesmo experimente diversos esportes. É importante que a escolha do esporte seja consciente e livre de preconceitos, assim como, que a mesma seja respeitada e estimulada pela família.
Antes de iniciar a prática de uma atividade esportiva, é recomendável a realização de uma consulta médica para avaliar as condições físicas do adolescente. A consulta com uma nutricionista também pode ser interessante, visto que em alguns casos é necessário adaptar a alimentação de acordo com o gasto energético da atividade física.
Os benefícios do esporte na adolescência são inúmeros, entre eles a diminuição da ansiedade e a regulação do sono. A excessiva preocupação pela imagem corporal é o principal estímulo que leva o adolescente a procurar a prática da atividade física. Porém, ao iniciar a prática de um esporte, o adolescente também acaba por adquirir outros hábitos saudáveis (alimentação regrada, evitar fumo e drogas, rotina, etc), o que contribui para o seu bem-estar geral.
Acreditamos que os benefícios do esporte na adolescência vão muito além dos fatores físicos. O esporte pode contribuir na melhora da autoestima do jovem, que muitas vezes encontra-se fragilizada nesta fase da vida. Além de colaborar também no desenvolvimento da noção de comprometimento, de espírito de equipe, de disciplina e de tolerância a frustração. Os esportes coletivos podem facilitar a socialização (ajudando a vencer a timidez) e atuar como uma ferramenta para aumentar a rede social do adolescente.
Desta forma, o esporte pode auxiliar na formação de valores éticos, atuando como um facilitador no processo de amadurecimento psíquico e relacional do adolescente, contribuindo para a formação integral do indivíduo.

Drogas fique fora dessa!


Drogas Fique fora dessa!!

Drogas são substâncias naturais ou sintéticas que afetam os processos da mente ou do corpo quando introduzidas no organismo.
Embora o termo possa se referir a qualquer composto utilizado no diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças, na maioria das vezes é utilizado para se referir a substâncias usadas recreativamente em função dos efeitos narcóticos que exercem sobre o sistema nervoso central.
Cigarro também é droga - Diga Não
Se a droga é usada recreativamente, é porque proporciona experiências de prazer. Isso leva parte dos usuários ao uso contínuo e à dependência. Por este motivo, a definição de drogas atualmente abrange também produtos tóxicos legais que são utilizados de forma excessiva, como o cigarro ou o álcool.
Algumas substâncias químicas têm o poder de alterar nosso estado de consciência disparando uma parte do cérebro responsável pelo que chamamos de sistema de recompensa, associado principalmente à manutenção da dopamina – principal neurotransmissor do corpo – no organismo.
Alcool também é droga- Diga Não!
As drogas psicotrópicas (psico/mente + trópico/atração por) são as que alteram a forma de o indivíduo sentir, pensar e, às vezes, agir. Podem ser divididas em drogas naturais, parcialmente sintéticas e sintéticas. Mas, de uma forma geral, são classificadas de acordo com os efeitos farmacológicos que exercem, ou seja, a forma como atuam sobre o cérebro. Podem ser estimulantes, depressoras ou perturbadoras do sistema nervoso central.


Tipos

Drogas estimulantes aumentam a atividade cerebral: o tempo de vigília é aumentado, a atenção é reforçada e há aceleração do pensamento – o que leva à euforia. Cafeína e nicotina são estimulantes naturais legalizados. Anfetaminas podem ser utilizadas pela medicina como moderadores do apetite, mas também são usadas sem o aval do médico. Cocaína e crack são consumidos por vias intranasais, pela aspiração do pó ou da fumaça, ou de forma injetável. Têm alto tropismo, ou seja, o usuário tem grandes chances de se tornar dependente.
Drogas depressoras diminuem a atividade do cérebro, tendo propriedades analgésicas. Usuários desse tipo de psicotrópico apresentam movimentos lerdos, a atenção e o tempo de vigília diminuem. O álcool é uma substância lícita, mas o consumo frequente e prolongado pode levar ao vício e a doenças graves.
Benzodiazepínicos (tranquilizantes ou calmantes) são usados no tratamento de alguns distúrbios emocionais, como tensões e ansiedades. No entanto, podem causar efeitos adversos graves e causam rápida dependência.
Opiáceos podem ser naturais, extraídos da papoula; semissintéticos, a partir da morfina (heroína), e sintéticos (meperidina). Têm alto potencial de dependência, usados como analgésicos e sedativos pela medicina em sua forma sintética. Lança-perfume, benzina, alguns tipos de cola, clorofórmio e éter são inalantes: provocam tonturas e relaxamento da musculatura, com alterações perceptivas do tempo e do espaço.
Drogas perturbadoras, ou alucinógenas, frequentemente causam ilusões visuais e alterações nos sentidos. Não aumentam nem diminuem a atividade do cérebro, mas fazem com que o órgão funcione de maneira diferente. Essas substâncias, até onde se sabe, não têm utilidade clínica e são ilegais. Mescalina, psilocibina (cogumelo), maconha, LSD, Ayahuasca (o “chá” do Santo Daime), ecstasy e anticonérgicos fazem parte deste grupo.
Diga Não ao Crack
A mescalina tem efeitos psicodélicos semelhantes embora menos intensos que o LSD. A maconha causa alterações cognitivas e de humor, aumento exagerado de apetite e, em alguns casos, desencadeia quadros agudos de pânico e paranoia. O chá do Santo Daime pode também levar a quadros psicóticos. O ecstasy (droga sintética derivada da anfetamina) tem tanto propriedades estimulantes como alucinógenas, afetando e lesando o sistema serotoninérgico, responsável pelo controle do humor e impulsos.
A quantidade necessária de cocaína para provocar uma overdose – situação em que o organismo é incapaz de metabolizar as substâncias, causando um quadro grave de intoxicação – varia de um indivíduo para o outro. A morte pode ocorrer após o consumo de 0,2 a 1,5 grama de droga pura. Esse risco é maior se houver injeção direta no sangue.


Curiosidades

Ao longo da História, muitos conflitos ocorreram por causa da droga. De 1830 a 1860 as Guerras do Ópio foram travadas entre ingleses e chineses, que não queriam mais permitir a entrada do entorpecente extraído da papoula em seus territórios. Derrotada, a China teve de aceitar a legalização da importação para o país até 1949 e lidar com o crescente problema de saúde decorrente da dependência química.
Diga Não a Maconha 

A descoberta dos efeitos alucinógenos do LSA foi acidental, quando o médico suíço Albert Hoffman manipulava ácido obtido a partir do alcaloide de um fungo em seus estudos. Durante o trabalho, ele percebeu que se sentia tonto. Além disso, teve vertigens e era capaz de ver luzes coloridas intensas ao seu redor.
Em alguns países a maconha é liberada para fins medicinais, estimulando o apetite e diminuindo a dor de pacientes com câncer terminal, glaucoma, portadores de HIV ou doenças que causam espasmos musculares, como o Parkinson.